OVP Espirito Santo Saúde

28 Janeiro 2014 | Mercados
A saúde e a confiança de uma economia também se analisa pelo número OPV (oferta pública de venda) que se realizam.
Em Portugal, estas operações são muito reduzidas, mas o facto de nos últimos meses terem acontecido 2 OPV (CTT e agora a ES Saúde) e estarem planeadas mais algumas (TAP, Rioforte, entre outras), cria um ambiente salutar e de confiança para o futuro próximo da economia nacional.
As OPV devem ser encaradas como uma forma alternativa e eficiente de financiamento das empresas.
Só é pena termos um mercado tão curto e tão pouco dinâmico.
A ideia desenvolvida há uns anos atrás de criar um mercado acionista para PME's deve ser relançada.
As próprias entidades públicas devem aproveitar estes mecanismos de mercado para reestruturarem o seu financiamento aproveitando as baixas taxas de juro de mercado e o ambiente de confiança crescente.
Será assim tão descabido termos câmaras municipais ou associações de municípios a financiar os seus projetos públicos através de ofertas públicas de subscrição de obrigações, por exemplo?